Dólar deve alavancar turismo no Brasil no verão deste ano

Maior oferta de voos nacionais também contribui para o aquecimento do setor nos próximos meses

Para países com dimensões continentais e predominantemente tropical, como o Brasil, o verão costuma ser a grande aposta do trade turístico. De dezembro a março, período que coincide com as férias escolares, o movimento chega a dobrar em grande parte do país, o que eleva os investimentos do setor produtivo para oferecer destinos cada vez mais atrativos para o público consumidor.

Com a conjuntura geopolítica atual, o dólar sofreu a primeira queda do ano nesta quarta-feira (8), sendo negociado ao valor de R$ 4,05 (venda). Apesar da redução da moeda, as viagens ao exterior ainda pesam no bolso do brasileiro, que, por sua vez, opta por destinos nacionais como alternativa para aproveitar o verão.

“Sabemos que o dólar contribuiu para as pessoas viajarem mais pelo Brasil este ano. Além disso, as notícias difundidas de que o problema do óleo nas praias brasileiras já foi sanado desvaneceu as perspectivas de restrição para o acesso a estas regiões. É válido ressaltar que o incremento para o verão também pode ser notado pelo aumento de ofertas de voos nacionais. A junção destes fatores potencializa o crescimento do nosso setor”, explica Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA).

De acordo com o Ministério do Turismo (MTur), em outubro do ano passado, os empresários hoteleiros do país já enxergavam grandes potenciais para temporada de verão 2020. No Centro-Oeste, 65% do setor produtivo hoteleiro pretendem investir em seus meios de hospedagem para os próximos meses. No Norte, o percentual atinge 85,7%, enquanto o Nordeste apresenta 63,2% de interesse dos empresários. Já no Sul e no Sudeste, a aposta dessa melhoria é de 70,2% e 63,1%, respectivamente.

“Com o investimento no setor, conseguiremos oferecer um serviço melhor para os turistas. A expectativa é de que, juntamente com as melhorias, os atrativos dos estados brasileiros potencializem as viagens no nosso país, o que aumentará o faturamento, a demanda de serviços e a geração de empregos voltados ao Turismo. Isso é extremamente positivo para as regiões”, complementa Sampaio.

A preferência para as viagens durante esta época, ainda de acordo com o Ministério do Turismo, varia de acordo com as regiões brasileiras. Enquanto os turistas do Sul tendem a se deslocar para o Nordeste, por exemplo, os turistas do Sudeste buscam, predominantemente, os atrativos gaúchos e baianos. “Essa rotatividade dos estados é fundamental para que todas as localidades possam crescer em conjunto, auxiliando o enriquecimento do país como um todo”, defente o presidente da FBHA.

Sobre a FBHA – A Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) é uma entidade sindical patronal constituída com a finalidade de coordenação, defesa administrativa, judicial e ordenamento dos interesses e direitos dos empresários da categoria e atividades congregadas. Integra a chamada pirâmide sindical, constituída pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), pela própria FBHA, pelos Sindicatos e pelas empresas do setor.

É uma das maiores entidades sindicais do país e tem representação nos principais órgãos, entidades e conselhos do setor empresarial e turístico do Brasil, tais como o Conselho Nacional de Turismo (CNT), do Ministério do Turismo, ou o Conselho Empresarial do Turismo (Cetur) da CNC.

Está presente em todas as regiões, através de 67 sindicatos filiados. Representa em âmbito estadual e municipal cerca de 940 mil empresas, entre hotéis, pousadas, restaurantes, bares e similares.

 www.fbha.com.br

Compartilhe essa página com um amigo ou nas redes sociais:
Divulgação: Proativa Comunicação

Os comentários estão desativados.

Mais Notícias



VOLTAR