Estância Guatambu – Uma vinícola referência em modelo de sustentabilidade e diversidade

Estância-Guatambu

Estância Guatambu – Foto: Rodrigo Alves Vieira

 

A sede da vinícola é o que melhor ilustra o conjunto de diferenciais, da cobertura do prédio à construção e seu entorno. As paredes são de argila injetada, aberturas reforçadas para receber luz solar e máxima luminosidade natural interna. A prioridade foi contar na construção com material reciclado, como tijolos e madeira. Calhas fazem a coleta de água da chuva e o jardim é exclusivo com plantas e árvores nativas da região. E, no entrono, 600 placas solares fazendo a captação de energia, sobre os estacionamentos cobertos, completam o cenário.

A Guatambu faz a sua parte social, destina 2% da renda líquida para entidades carentes, hospitais e entidades de combate ao câncer. Filhos de pais de baixa renda da região, que integram o chamado pelotão mirim, também contam com apoio como equipamentos e reforma de computadores.

Na Estância Leões, onde estão os parreirais, está uma área reserva onde são encontrados pássaros ameaçados em extinção, como o Veste Amarela. A região conta com campo natural e tem bioma pampa representando por cerca de 3 mil espécies de plantas, mais de 400 árvores e aproximadamente 80 mamíferos. Segundo Valter José Pötter, proprietário e diretor-geral, a família foi a primeira a averbar 20% de suas áreas para reserva legal a mais de 20 anos.

Nos vinhedos, a vinícola adotou uma máquina que reduz a necessidade de tratamentos fitossanitário. O equipamento, importado do Chile, passa pelo parreiral, a 5 km por hora, emitindo jato de ar quente a 125º celsius, que esteriliza o ambiente de alguns fungos. Também são utilizadas alternativas orgânicas para combater os principais inimigos naturais dos fungos que podem atingir o parreiral.

 

Estância-Guantambu

 

Com as 600 placas de captação solar, um investimento de R$ 1,5 milhão feito a alguns anos atrás, a Estância do vinho se tornou autossuficiente energeticamente.

 

Gabriela_Pötter

Gabriela Pötter, enóloga da Guatambu – Foto: papodevinho

Uma das maiores fontes de renda da Guatambu começou em apenas meio hectare, para teste de uma cepa de uvas escolhida por Gabiela Hermann Pötter enóloga da vinícola, em 2012. Além da qualidade dos vinhos e espumantes, alguns deles já premiados, um grande diferencial é a sustentabilidade da produção, assegura Gabriela. “Muitos optam pelo nossos vinhos e não por outros de qualidade semelhantes, mais baratos, pela sustentabilidade que adotamos aqui”, enfatiza Pötter.

O Enoturismo é uma das fontes de recita extra crescente. Passam pela vinícola em torno de 6 mil pessoas por ano. O público é atraído por curso de degustação de vinhos e almoços harmonizados que são feitos 1 vez por mês com a presença dos donos. Ainda oferecem a possibilidade de eventos para empresas.

SERVIÇO:
Viníciola Guatambu
BR 293, Km 265 – Dom Pedrito – Campanha Gaucha – RS – Cep: 96.450-000
Tel.: (53) 3243-3295
visita@guatambuvinhos.com.br
www.guatambuvinhos.com.br

Compartilhe essa página com um amigo ou nas redes sociais:

Os comentários estão desativados.

Mais Notícias



VOLTAR